21/05

10 dicas de alimentação para seu bebê crescer forte e saudável

Para acompanhar o ritmo intenso de crescimento e das descobertas presentes nos primeiros anos de vida, a alimentação tem um papel protagonista para garantia de um bom desenvolvimento motor, cognitivo e intelectual. Após os primeiros meses – onde é indicado somente a ingestão de leite materno – tem inicio a fase das refeições complementares, introduzindo os primeiros alimentos sólidios.

Para garantir uma alimentação saudável, é preciso ser bem cuidadoso, tanto na escolha dos alimentos como na forma de introdução deste novo hábito ao seu filho. Aqui estão dicas selecionadas que irão ajudá-lo a rechear as refeições de alimentos nutritivos, gostosos e indispensáveis nesta fase. Confira!

Primeiro passo: como ter uma gravidez saudável

A nutrição dos pequenos começa na barriga. Comer por dois é coisa do passado, e o ideal é se atentar a uma alimentação balanceada, alternando intervalos de no máximo 3 horas. Entre de cabeça nas frutas, legumes e invista na ingestão de alimentos ricos em ácido fólico, presente nas verduras verde escuras (couve, rúcula, agrião), além das frutas cítricas e na gema do ovo.

Mamãe, eu quero mamar!

A recomendação da OMS é amamentar os pimpolhos exclusivamente com leite materno até os 6 primeiros meses de vida do bebê. Esse alimento, considerado completo por muitos médicos, é rico em vitaminas e sais minerais, além de conter tudo o que o bebê precisa – inclusive água. Sem contar nos anticorpos da mãe que irão protegê-lo neste comecinho de vida.

Abuse e use das frutas e hortaliças

A partir dos 6 meses começa a ingestão de água, sucos e dos primeiros alimentos sólidos. Dê preferências a alimentos frescos e naturais dos quais você sabe a procedência, caprichando na higiene, livrando de possíveis contaminações. Aposte em um cardápio bem variado, combinando legumes e frutas ao gosto de seu filho.

Produtos industrializados x produtos caseiros

Comidas industrializadas, como bisnaguinhas e danoninhos são uma tentação para os pequenos. Mas fique atento, pois a quantidade de corantes e conservantes contidas nesses alimentos são indicados somente para os maiores de 4 anos! Tente substituir por receitas caseiras, não há nada mais gostoso do que bolos e biscoitos feitos em casa.

Sirva de exemplo

As crianças crescem se espelhando no exemplo que têm em casa. Muitos pais aproveitam a chegada do primeiro filho para investirem também em uma alimentação mais saudável para eles próprios. Depois dos oito meses, os bebês já podem comer o mesmo cardápio dos pais. Uma boa oportunidade para suspender as frituras e alimentos gordurosos da dieta da família!

Sinal de alerta para o grande vilão, o açúcar!

As guloseimas são recomendadas para as crianças maiores, ainda sim com muita moderação. Para os papais que utilizam o mel como substituição, o ideal é usar também com muita cautela e somente para o maiores de 1 ano, já que o alimento contem uma toxina que pode causar botulismo nos bebês com poucos meses de vida.

Cartão vermelho: o que deve passar longe do cardápio

Assim como o açúcar, a pimenta, o catchup, a mostarda, o gengibre e todos os temperos condimentados atrapalham a digestão dos pequeninos, além de agredir o pequeno intestino, ainda acostumados a sabores básicos.

Uma boa hidratação é indispensável!

A partir dos seis meses, os bebês começam a ganhar mais habilidades, gastando cada vez mais energia. Água deve ser oferecida com freqüência e uma boa dica é estar sempre atento a fraldinha pra ver se o xixi está em dia.

Quantidade não é qualidade!

Invista na qualidade e não da quantidade do que o seu filho come. Quanto mais a rotina estiver estabelecida, mais fácil será criar o hábito de se sentar à mesa com a família e fazer desse um momento prazeroso.

Paciência e criatividade

Seu filho não gostou de comer cenoura crua? Experimente então fazer um bolo de cenoura! Torceu o nariz para a  banana amassada? Tente novamente no outro dia, em pequenos pedaços. Nesta fase, o que vale é não forçar a barra. Para conquistar os pequenos paladares, nada melhor do que dar asas à paciência e liberar a imaginação!

E aí, o que acharam das nossas dicas? Como tem sido a alimentação dos seus pequeninos? Está conseguindo trabalhar com alimentos saudáveis? Compartilhe suas sugestões, dicas e truques nos comentários abaixo, para ajudar outros pais que estão nessa mesma luta!

 

Gostou?

Seu comentário: